Destaques

SINDSEG HOMENAGEIA HOJE O SINCOR-RS

O Sindicato das Empresas de Seguros do Rio Grande do Sul (SindSeg-RS) homenageia hoje (28/8), durante seu tradicional almoço mensal, o Sincor-RS como “Entidade Notável no Mercado Segurador”. O evento ocorre no Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre.

A diretoria do nosso Sindicato agradece desde já a homenagem e compartilha com todos os Corretores Profissionais de Seguros do estado.

O presidente Ricardo Pansera diz:

- Agradecemos a homenagem, em nome de toda a categoria. O Sincor-RS é uma entidade forte, atuante e representativa graças à participação dos corretores associados.

PALESTRA EM LAJEADO

Na terça-feira, 26/08 foi realizada em Lajeado a palestra para os corretores da região, que reuniram-se para ouvir o executivo Alberto Muller da Silva, da Yasuda Marítima Seguros. Ele discorreu sobre Seguros de Property, na segunda edição do ciclo de palestras organizado pelo Sincor-RS que será levado a várias cidades do estado.

Durante mais de uma hora a plateia atenta aprendeu muito a respeito de uma carteira de multirriscos que agrega várias coberturas numa única apólice.

Alberto Muller alertou sobre a necessidade de o Corretor conhecer detalhadamente os riscos e necessidades do seu cliente, explicou várias coberturas, fez alertas sobre as peculiaridades do setor e respondeu a inúmeras perguntas.

Os colegas corretores foram solidários doando uma grande quantidade de alimentos não perecíveis, que serão encaminhados a uma instituição de caridade da região.
Participaram representando o Sincor-RS o Sub-Delegado Augusto Godoy, o Diretor de Marketing André Thozeski e a Vice Presidente de Relações com o Mercado, Roseli de Castro.

DIRETORIA DO SINCOR VISITA CORRETORES EM LAJEADO

Na terça-feira 26/08 a Diretoria do Sincor-RS esteve em Lajeado visitando alguns corretores. Foi a oportunidade para estreitar as relações da entidade com seus associados e ouvir as sugestões e demandas dos corretores. Agradecemos a recepção pelos amigos Francisca e João Gabriel Diedrich, Marchese Corretora, DasCor Corretora e Godoy e Filhos Corretora.

CONFRARIA DO SEGURO NA FRONTEIRA OESTE ARGENTINA

O delegado regional do Sincor-RS na Fronteira Oeste-Argentina Antônio Augusto Calage Alvarenga promoveu uma reunião da Confraria do Seguro, no dia 20 de agosto, em Uruguaiana. Os corretores participaram do encontro, num clima de muita amizade.

Alvarenga prova, mais uma vez, sua competência como um grande agregador dos corretores e sua capacidade de superação das dificuldades que enfrentou após acidente de trânsito.

COMEMORE COM O SINCOR OS 50 ANOS DA LEI 4594/64

Nossa profissão foi regulamentada pela leei 4594 de 29 de dezembro de 1964 e completa agora 50 anos. É um momento de júbilo para toda a categoria.

Para marcar esta data tão importante para os corretores de seguros, o Sincor-RS oferece aos colegas um selo e um rodapé comemorativos.

Eles devem ser usados nas correspondências, como forma de mostrar o orgulho de nossa profissão.

Ambos estão à disposição para baixar aqui.

CAFÉ DA MANHÃ COM SEGURO

Confrasol pede apoio para o Asilo Matusalém

A Confrasol – Confraria dos Amigos do Mercado de Seguros conta com o apoio de várias entidades do Mercado, amigos da área de seguros e de outros setores.

Suas atividades giram em torno de oferecer uma melhor qualidade de vida para internos de asilos e creches carentes envolvendo alimentos, roupas, materiais de higiene pessoal e, principalmente, a reforma/melhorias das instalações destas entidades, de forma duradora e que venha a qualificar o dia a dia e a melhoria na vida dos nossos irmãos.

Recentemente fizemos a substituição do telhado da Creche Criança Feliz no bairro Matias Velho, em Canoas.

Agora o desafio é a substituição também do telhado do Asilo Matusalém, entidade que tivemos a oportunidade de reformar há uns 10 anos com a ampliação em 50metros quadrados de área construída.

A parte do telhado antigo não foi mexido e é isto que deveremos estar fazendo nos próximos dias pois o atual está em estado precário rejudicando o dia a dia dos 24 idosos ali abrigados.

Serão 110 telhas de 2,44 metros, 22 cumeeiras, 52 caibros de 4X5X5,50 metros e etc. O custo total, com mão de obra, gira em torno de R$ 7.500,00.

Como ainda nos falta uma parte dos recursos, peço a todos que queiram colaborar que me contate que informarei como fazer.

Cordialmente

Celso Azevedo Confrasol

PROJETO PROÍBE IMOBILIÁRIAS DE FAZER VENDA CASADA DE SEGURO DE FIANÇA

A Câmara dos Deputados analisa projeto de lei (PL 7174/14) que assegura ao locatário a livre escolha do corretor de seguros na contratação da apólice exigida como garantia nos contratos de aluguel. O único pré-requisito é que o corretor esteja registrado na Superintendência deSeguros Privados (Susep). A proposta altera a Lei do Inquilinato (Lei 8.245/91).

O autor do projeto, deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), explica que o seguro tem sido cada vez mais exigido nos contratos de locação, em substituição aos fiadores. De acordo com o Sindicato da Habitação do Estado de São Paulo (Secovi-SP), o seguro já está presente em 20,5% dos contratos.

ESPÉCIE DE VENDA CASADA

- É comum que empresas do ramo imobiliário celebrem acordos com corretores de seguros, deixando o locatário à mercê quanto aos valores e condições de pagamento. Ou seja, estão praticando uma espécie de venda casada – , disse Albuquerque.

O contrato de locação não é entendido como uma relação de consumo por isso, o locatário não está protegido pelo Código de Defesa do Consumidor nos casos de abuso.

TRAMITAÇÃO

O projeto tramita apensado ao PL 693/99. Ambos serão analisados pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e, depois, pelo Plenário.

Fonte: Agência Câmara

AGU CONSEGUE PROIBIR ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO AUTOMOTIVA DO ESTADO DE GOIÁS DE ATUAR NO MERCADO DE SEGUROS PRIVADOS SEM AUTORIZAÇÃO

A operação de seguros sem autorização legal constitui crime contra o sistema financeiro. O alerta é da Advocacia-Geral da União (AGU) em ação com objetivo de proibir uma seguradora de atuar ilegalmente no mercado. A oferta discriminada de itens exclusivos do contrato de seguro constatada em processo administrativo motivou o pedido à Justiça.

A Ação Civil Pública apresentada pela Procuradoria Federal no Estado de Goiás (PF/GO) e Procuradoria Federal junto à Superintendência de Seguros Privados (PF/Susep) apontou que a Associação dos Transportadores do Estado de Goiás (ATEG) estaria oferecendo aos caminhoneiros e empresas transportadoras de cargas serviços em desacordo com a legislação.

SEGURADORA “PIRATA”

Os procuradores explicaram que a seguradora violava o direito dos consumidores ao propor como proteção veicular elementos essenciais em todo o contrato de seguro, a exemplo da garantia de indenização por danos causados aos veículos por colisão, incêndio, roubo ou furto, interesse segurável, risco e prêmio, causando lesão potencial aos direitos do consumidor.

Além disso, esclareceram que a contratação de seguro não é livre e que somente as sociedades anônimas ou as cooperativas podem funcionar como sociedade seguradora, que é equiparada à instituição financeira. Este argumento justificava a indicação dos procuradores de que a associação operava de forma “pirata”, realizando seguros sem prévia autorização da Susep.

FALTA DE PROVISÕES TÉCNICAS

A prática, conforme acrescentou as unidades da AGU, não observava os requisitos legais exigidos das operadoras de seguros privados, dentre os quais a constituição de provisões técnicas que garantam sua solvabilidade, a adoção de mecanismos que se destinem a pulverizar os riscos assumidos pelo mercado segurador, tais como co-seguro, o resseguro e a retrocessão e, ainda, o pagamento de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

De acordo com os procuradores, a atuação da associação desestabiliza todo o mercado de seguros em âmbito nacional, na medida em que o descumprimento das exigências legais proporciona-lhe custo inferior aquele das entidades seguradoras regularmente constituídas, as quais não teriam condições de competir com os valores praticados pela ré.

FRAUDE CONFIGURADA

Por fim, as procuradorias da AGU afirmaram que a decisão judicial era imprescindível para por fim às infrações, em razão da ausência de lei que permita à Susep interditar totalmente ou parcialmente as ações da associação, considerando que a situação configurava fraude.

A 4ª Vara da Seção Judiciária de Goiás confirmou liminar concedida em primeira instância, julgando procedentes os pedidos para determinar à associação que deixe de comercializar, realizar a ofertar, veicular ou anunciar qualquer modalidade contratual de seguro, em todo o território nacional, sendo expressamente proibida de angariar novos consumidores.

A decisão também obrigou a entidade a encaminhar correspondência aos associados informando o teor da sentença e publicá-la em destaque em jornal de circulação nacional e no seu site, sob pena de multa no valor de R$ 1.000,00 caso seja descumprida cada evento estipulado na ordem judicial.

A PF/GO e a PF/Susep são unidades da Procuradoria-Geral Federal, órgão da AGU.
Ref.: Ação Civil Pública nº 24114-91.2012.4.01.3500 – 4ª Vara da Seção Judiciária de Goiás

Fonte: Advocacia Geral da União

2ª EDIÇÃO DO “LIDERANÇAS QUE INSPIRAM” ACONTECE EM SETEMBRO

Anote na sua agenda: 

2ª edição do “Lideranças que Inspiram”, promovido pelo site Seguro Gaúcho.

DIA: 9 de setembro
HORÁRIO: 19 horas
PALESTRANTE: Gabriel Portella, presidente da SulAmérica, vice-presidente da Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde) e membro da Academia Nacional de Seguros e Previdência.

O executivo tem 40 anos no mercado de seguros, 31 dos quais na SulAmérica. O “Lideranças que Inspiram” objetiva ultrapassar a barreira on line e fazer também transformações off line. E como proposta, apresentar destaques do seguro nacional, que falarão da sua trajetória pessoal e profissional para os corretores e demais profissionais do setor no Estado.

INSCRIÇÃO

Poderão participar do evento apenas os usuários do site e as vagas são limitadas. Os 100 primeiros inscritos garantirão o convite para o encontro. Para se inscrever acesse: www.segurogaucho.com.br/liderancas-que-inspiram

Fonte: Seguro Gaúcho- Myllena Ribeiro

TROFÉU SEGURO GAÚCHO VAI PREMIAR AS MELHORES SEGURADORAS DO RIO GRANDE DO SUL

O site Seguro Gaúcho lança o Troféu Seguro Gaúcho 2014 para agitar o Mercado Segurador do Rio Grande do Sul. É uma iniciativa do grupo Essenius Inclusão e Conectividade, através da sua comunidade online www.segurogaucho.com.br e visa reconhecer as Seguradoras e o trabalho dos profissionais de Seguros do Rio Grande do Sul, que se destacaram este ano.

As inscrições para concorrer ao Troféu estão abertas até o dia 31 de agosto e os interessados devem preencher a ficha de inscrição disponível no site da premiaçãowww.trofeusegurogaucho.com.br

A votação será realizada através de voto direto pelos usuários do portal Seguro Gaúcho. Serão premiadas 8 categorias: Melhor Seguradora, Melhor Seguradora de Auto, Melhor Seguradora de Ramos Elementares, Melhor Seguradora de Vida, Melhor Liquidação de Sinistros, Melhor Diretor Regional, Melhor Gerente Regional e Melhor Atendimento de Contas.

Podem participar todas as Companhias de Seguros do Rio Grande do Sul que estejam atuando em conformidade com as determinações da Susep.

Fonte: CQCS | Marília Gabriela

DPVAT + PRÊMIOS

No dia 31 de julho, a Centauro lançou a campanha “DPVAT + Prêmios” que premiará os corretores de seguros cadastrados na Centauro, que se destacarem no atendimento às vítimas de acidentes de trânsito através do Projeto Corretor DPVAT.

A campanha terá duração de 6 meses (jul/14 à dez/14) e visa potencializar o número atendimentos realizados através dos corretores de seguros cadastrados junto a Centauro e despertar o interesse em novos corretores em participar do atendimento DPVAT através do Projeto Corretor.

Veja mais detalhes aqui…

Leitura indicada: Conheça as sete doenças bucais mais comuns causadas pelo fumo

Na véspera do Dia Nacional de Combate ao Fumo, celebrado
em 29 de agosto, saúde bucal ganha cada vez mais atenção 

Boa parte da população já sabe que o fumo pode causar uma série de doenças e compreende que esse não é um hábito saudável. Porém, poucas pessoas conhecem quais são as sete doenças bucais mais comuns causadas pelo tabagismo. Para explicar essas patologias e de que forma elas nos afetam, conversamos com a Dr. José Henrique de Oliveira, cirurgião dentista e diretor de Operações do INPAO Dental.

1- COMPROMETIMENTO DOS TECIDOS PERIODENTAIS (GENGIVASI)
Por possuir quase cinco mil compostos químicos, o cigarro afeta diretamente os tecidos periodontais, responsável por todo o sistema de implantação e suporte dos dentes. Entre os principais problemas estão a diminuição da vascularização; a alteração da resposta inflamatória e imunológica; o aprofundamento das bolsas periodontais e as interferências em cicatrizações pós- terapias.

2- GUNA (GENGIVITE ULCERATIVA NECROSANTE AGUDA)
A Guna, também conhecida como Gengivite Ulcerativa Necrosante Aguda, é uma doença periodontal relativamente incomum. Ela se manifesta em pacientes jovens na presença de estresse associada à má higiene bucal. Entre as suas principais características clínicas podemos incluir úlceras, necrose, dor e sangramento da gengiva.

3- MANCHAS NOS DENTES
Apesar de não ser considerada exatamente uma doença, o cigarro contribuiu para a geração de manchas na parte de fora dos dentes, problema que incomoda muita gente devido a questão estética. Para resolver, muita gente abusa do clareamento dental, quando o mais correto é parar, ou pelo menos reduzir, não apenas o consumo de cigarro, mas também de alimentos como o café, chá e bebidas com corantes artificiais.

4- CANDIDÍASE 
Conhecida popularmente como “sapinho”, essa doença é caracterizada pela presença de áreas brancas facilmente removidas. Ocorre em pacientes com deficiência imunológica, corticóide terapia ou fatores locais como o uso de próteses e má higiene bucal. Para resolver esse problema, consulte seu médico para prescrever um enxaguatório bucal antifúngico ou pastilhas (clotrimazol).

5- XEROSTOMIA
A sensação constante de boca seca, consequência ou não da alteração na quantidade e qualidade da saliva, também é resultado do hábito de fumar. Para a maioria dos pacientes só pode ser oferecido alívio sintomático, melhorando a higiene bucal rígida e um controle na dieta. Porém, em casos mais agudos, é necessário reativar a secreção das glândulas salivares com tratamento químico e acompanhamento do cirurgião dentista.

6- HALITOSE
A halitose é uma condição anormal do hálito e indica um desequilíbrio local ou sistêmico. O fumo contribui para exacerbar o odor, favorecendo a descamação e redução do fluxo salivar. Por sua vez, esse problema propicia a formação da saburra lingual, a popular língua branca, causada por uma placa bacteriana esbranquiçada, que se forma no fundo da língua.

7- CÂNCER BUCAL
Por fim, e com certeza a doença mais fatal, o câncer de boca é uma patologia mais comuns entre os fumantes. O crescimento anormal e desordenado de massa ou tecido, pode ser maligno ou benigno. Entre as suas principais características clínicas estão a úlcera; o surgimento de bordas nítidas elevadas e endurecidas; e o sangramento fácil.

Vale lembrar ainda que quem fuma pode perder os dentes muito antes de alguém que não tem o vício, já que uma das consequências do tabagismo é o agravamento das doenças periodontais, que afetam as gengivas e os ossos ao redor dos dentes.

“Para minimizar os riscos de desenvolver essas doenças, o ideal é que o fumante visite a cada seis meses seu cirurgião dentista para prevenir eventuais lesões ou possibilitar uma intervenção precoce, caso seja necessário”, afirma o Dr. José Henrique de Oliveira, diretor de Operações do INPAO Dental.

SOBRE O INPAO DENTAL

O INPAO Dental (Instituto de Previdência e Assistência Odontológica), empresa especialista em odontologia, garante atendimento de qualidade em sua rede credenciada altamente especializada e está presente em todo território nacional com mais de 14 mil opções de atendimento.

Fonte: Agência Pauta VIP – Comunicação Empresarial Assessoria de imprensa do INPAO Dental

CASO CONFIANÇA: SINCOR-RS TEVE AUDIÊNCIA NA SUSEP

Na última sexta-feira( 22/08), o Vice-Presidente do Sincor-RS e também Vice-Presidente da FENACOR, Celso Marini, manteve audiência com o Superintendente da SUSEP, Roberto Westenberger, para solicitar apoio da autarquia no processo de recuperação da seguradora Confiança.

Marini argumentou que o Sincor-RS acompanha diariamente o empenho dos novos gestores e intermedia dezenas de reclamações de corretores e segurados, visando uma rápida solução para diversos sinistros ainda em aberto. Algumas pendências a seguradora já pagou. Porém, o monitoramento e o apoio da SUSEP é fundamental neste momento. O Superintendente mais uma vez comprometeu-se a manter a vigilância da autarquia.

O Sincor-RS sempre esteve e permanece ao lado dos corretores e seus segurados, mediando as demandas junto à seguradora Confiança e cobrando da SUSEP sua responsabilidade como órgão fiscalizador do mercado.

SEGURO PIRATA: COMISSÃO DE TRABALHO REUNINDO O SINCOR-RS E O SINDSEG-RS

As duas entidades trabalham juntas, com assessoria do escritório CJosias & Ferrer Advogados Associados, mapeando todas as atuações ilegais das tais “associações e cooperativas de proteção automotiva” no estado do Rio Grande do Sul, para as medidas legais.

Participaram pelo Sincor-RS o Presidente Ricardo Pansera e a Vice-Presidente de Relações com o Mercado, Roseli de Castro e, na condição de convidado, o corretor de seguros Laureano Fortuna, que atua em uma região com a presença de diversas associações que concorrem predatoriamente com os corretores de seguros.

Pansera informou ao grupo de trabalho que o Vice-Presidente do Sincor-RS e também Vice-Presidente da FENACOR, Celso Marini, teve audiência com o Superintendente da SUSEP, Sr. Roberto Westenberger, na última sexta-feira, 22/08, e que Marini também cobrou da SUSEP uma ação enérgica quanto aos seguros piratas, que estão proliferando cada vez mais por todo o país.

Corretores: colaborem com este grupo de trabalho apresentando todas as denúncias de que tiverem conhecimento através do e-mail gerencia@sincor-rs.org.br

RESUMO DOS OBJETIVOS E BENEFÍCIOS DO SIMPLES NACIONAL

O Simples Nacional foi instituído pela Lei 9.317/96 com o objetivo de simplificar o recolhimento dos tributos e contribuições, podendo abranger os tributos devidos pelos Estados e Municípios, além dos tributos federais. Posteriormente foi substituído pela Lei Complementar nº 123 e agora com maior abrangência através da Lei Complementar nº 147.

O objetivo principal foi o de estabelecer normas gerais relativas ao tratamento diferenciado e favorecido a ser dispensado às micro e pequenas empresas, tais como: apuração e arrecadação dos tributos mediante regime único de arrecadação, inclusive as obrigações acessórias; acesso ao crédito e ao mercado; cumprimento de obrigações trabalhistas e previdenciárias.

Os benefícios oriundos do Simples Nacional são diversos, mas podemos destacar a geração de empregos com a redução dos encargos previdenciários, a redução da carga tributária e a forma simplificada no recolhimento dos tributos.

Uma empresa no regime comum de tributação tem que apurar e recolher aos cofres públicos SEPARADAMENTE cada tributo e contribuição, seja ele Federal, Estadual ou Municipal, gerando assim uma guia de recolhimento da COFINS, PIS, CSLL, IRPJ, ISS e ICMS, e ainda a apuração/cálculo desses tributos e declarações acessórias tais como DCTF, EFD, SPED CONTÁBIL etc., muitas das vezes mensais para cada um desses Tributos e Contribuições. Esta situação é referente a maioria das empresas brasileiras, mas há ainda situações empresariais mais complexas, como por exemplo empresas que pagam IOF, CIDE dentre outras obrigações.

Já numa empresa optante Pelo Simples Nacional, todos os impostos são arrecadados numa única guia de recolhimento (DAS) tendo como base da apuração dos tributos e contribuições o faturamento, no qual incide uma alíquota progressiva de acordo com o faturamento anual. No caso especifico do Corretor de Seguros, as alíquotas do simples podem iniciar em 6% sobre o faturamento (para corretoras que faturam até R$ 180 mil por ano) e ir até 17,42% (para aquelas que faturam até R$ 3,6 milhões por ano).

Outro ponto que merece ser destacado em relação ao custo de uma empresa optante pelo Simples Nacional é a parte trabalhista e previdenciária. Numa empresa pelo regime normal, além de pagarem o salário do empregado têm que recolher à previdência social até 26,2% referentes à parte patronal a mais sobre o salário dos empregados aos cofres Públicos. A opção pelo Simples Nacional será mais vantajosa para as empresas pois terão, além da dedução dos encargos trabalhistas e tributários, a possibilidade de gerar mais empregos. A expectativa do Governo Dilma com a sansão da Lei Complementar nº 147, é que ela faça gerar aproximadamente 9 milhões de empregos, incentivando também o crescimento das micros e pequenas empresas.

Portanto, o Corretor de Seguros poderá constituir sua sociedade, podendo ser na forma Simples Simples, Simples Limitada ou uma EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada com apenas o corretor de seguros, não sendo necessário mais sócios). Os interessados encontram no site da Fenacor (www.fenacor.org.br/download/eireli.pdf) a sugestão de contratos de constituição, legislação etc. Lembramos ao Corretor Pessoa física que este é o momento de constituir sua sociedade e de crescer.

Veja este exemplo: levando em conta uma receita mensal de R$15.000,00 o corretor atuando como PESSOA FÍSICA pagaria ou seria retido na fonte a título de imposto de renda o valor mensal de R$3.298,85.

Atuando como uma corretora de seguros pessoa jurídica no SuperSimples, com um faturamento anual de R$180.000,00 (portanto média de R$15.000,00 por mês), vai pagar mensalmente com a nova sistemática do Simples Nacional o valor de apenas R$900,00.

Se operasse como uma empresa corretora tributada pelo lucro presumido, o custo mensal desta corretora seria de R$2.599,50. Além da redução na carga tributaria, este corretor poderá contratar funcionários, pois, os custos da empresa com os funcionários além dos salários será apenas o FGTS, uma vez que o INSS patronal já está incluso no recolhimento pela alíquota única.

Fonte: Dr. Affonso D’anzicourt, Professor e Palestrante da Escola Nacional de Seguros, Contador, Advogado, pós-graduado em Direito Tributário e Legislação e especialista em Direito Societário e Tributário. Exerce as funções de consultor Contábil/Tributário como executivo responsável pelo Grupo Audicent Assessoria e Consultoria Empresarial.

Top